Sábado, 19 de Dezembro de 2009

Natal na Escola

 

No dia 16 de Dezembro, entre as 17 e as 19.30 horas, teve lugar um convívio de Natal, no Salão Polivalente, organizado pela Equipa da Biblioteca.
Foram convidados os Encarregados de Educação que, além de apreciarem a decoração e a exposição de trabalhos de alunos realizados nas disciplinas de E. V. T. e E. V. puderam, também, comprar livros na Feira do Livro, que também aí decorreu.
O espírito de Natal manifestou-se na boa vontade e entusiasmo de muitos alunos/alunas, que ofereceram bolinhos natalícios e ajudaram os mais indecisos na escolha de livros.
A turma do 6º 4ª e a Professora Vanda Lima proporcionaram um agradável momento musical, com canções de Natal em Inglês e Português.
O Natal chegou mais cedo à nossa Escola.
 
publicado por CREeb23bocage às 20:04

link do post | comentar | favorito
|

Viagens nas Letras

 

No dia 9 de Dezembro, continuámos a nossa viagem no mundo mágico dos livros. Contámos, desta vez, com a presença da turma 5º 2ª e com a colaboração da Dra.Lígia Águas, Bibliotecária da Biblioteca Municipal de Setúbal.
A Directora de Turma, Professora Alda Nunes, preparou conjuntamente com os alunos, vários poemas alusivos ao Natal, que foram apresentados com graça e convicção.
A Dra. Lígia Águas leu dois belos contos de Natal, da autoria de José Jorge Letria.
Falou, também, da importância da leitura, referindo que as tecnologias são apelativas, mas um livro é um amigo para toda a vida. A Professora Alda Nunes corroborou esta ideia e terminou, agradecendo a presença de alunos, professores, Encarregados de Educação e da Directora da Escola, que também assistiu ao evento.
E para o ano….vamos viajar mais!
 
 
 
 
publicado por CREeb23bocage às 18:52

link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 12 de Dezembro de 2009

Encontro com Luísa Ducla Soares

 

Este ano, no dia 2 de Dezembro, tivemos, novamente, o enorme prazer de receber um outro escritor na nossa escola.
Desta vez, contámos com a agradável presença de Luísa Ducla Soares, uma autora que tem leitores e admiradores em praticamente todas as gerações, desde os mais pequeninos até aos jovens e, mesmo, aos adultos.
 
 
Nas aulas de Língua Portuguesa, os alunos dos segundo e terceiro ciclos, leram algumas obras da escritora, nomeadamente “Poemas da Mentira e da Verdade” e “O Rapaz e o Robô”, e adoraram!
Por isso, também fizemos acompanhar o encontro por uma exposição de trabalhos.
No auditório, para além da conversa e dos autógrafos, alguns alunos dramatizaram dois textos e recitaram poemas da escritora.
 
 
 
 
 
Sabemos que também Luísa Ducla Soares gostou muito de estar na nossa escola.
 
 
 
 
Dramatização da história, “O Rapaz e o Robô”, por uma turma de 7º ano.
 
Nós fomos ao auditório, no dia 2 de Dezembro, para nos encontrarmos com Luísa Ducla Soares.
 Alguns alunos apresentaram trabalhos sobre textos da escritora e colocaram-lhe perguntas.
Luísa Ducla Soares, uma senhora de setenta anos, que escreve há sessenta, disse-nos que gostava muito de ler e que um dos seus escritores preferidos era Fernando Pessoa.
Eu gostei muito de conhecer Luísa Ducla Soares, porque li vários textos dela, mas não a conhecia pessoalmente.
Encontrarmo-nos com os autores dos textos que lemos é uma motivação para o continuarmos a fazer.
Boas leituras!
 
Georgiana, 6º 11ª
 
 
Algumas perguntas que fizemos e o que Luísa Ducla Soares nos contou, com a sua natural simpatia e generosidade
 
- Quando é que começou a escrever?
- Comecei a escrever por volta dos 10 anos. A professora de Língua Portuguesa leu um texto meu e pediu-me para o colocar no jornal da escola. Considero que foi ela quem me incentivou a escrever.
 
- Já reparámos que escreve e dedica muitas histórias ao seu irmão. Como é que ele era quando era pequenino?
- O meu irmão era uma daquelas crianças levadas da breca, brincava aos índios comigo, puxava-me os cabelos, dava-me pontapés… Então, como ele gostava muito das minhas histórias, eu contava-lhe diversas histórias e, em contrapartida, ele portava-se melhor. Uma delas demorou pelo menos três anos.
 
- Neste momento está a escrever alguma coisa?
- Sim, eu nunca paro de escrever, às vezes até escrevo quatro livros ao mesmo tempo! Agora, estou a reunir anedotas, um tipo de texto do nosso património bastante interessante. Se quiserem, podem enviar-me anedotas que conheçam (mas sem ser daquelas “frescas”).
 
- Sabemos que, quando era jovem, escreveu sobre Zé Pelinha. Pode contar-nos mais sobre essa personagem?
- Mas como é que vocês sabem? Como é que descobriram? As coisas que vocês descobrem! Zé Pelinha era um homem muito, muito pobre… Era de pele e osso! Um dia, como não tinha dinheiro, decidiu vender o seu esqueleto. Como podem imaginar, ele ficou só de pele e, por isso, há uma série de aventuras sobre ele: conseguia pôr-se dentro de uma algibeira, debaixo dos tapetes, nos sítios mais pequeninos! Mas nunca cheguei a editá-lo…
 
- Em que é que se inspirou para escrever “O Rapaz e o Robô”?
- Inspirei-me ao ver um menino a dar um pontapé numa pedra por ter tido má nota a Matemática, não sei se foi 0 ou 1. Mas a história é sobre o papel que as máquinas ocupam na nossa vida. Elas estão por toda a parte e em todos os momentos da nossa vida.
 
- Porque é que gosta de escrever?
- Porque é uma maneira de comunicar com os outros, de me exprimir…
 
- Onde vai buscar inspiração para escrever?
- Vou buscar inspiração ao telejornal, às revistas, à rua, às flores, a uma nuvem…
 
- Como é que despertou em si o gosto pela escrita?
- Eu sempre estive muito dividida entre as ciências e os cursos de Letras. Aos 14 anos, não sabia o que escolher, porque era boa aluna tanto a uma coisa, como a outra (tinha as mesmas notas). Então, atirei uma moeda ao ar: cara era para letras e coroa para ciências… Como todos já sabem, calhou-me cara… Mas ainda hoje tenho saudades das ciências!...
 
Inês Bastos, nº11, 6º11
 
 
 
Apreciações sobre a obra, “O Rapaz e o Robô”, de Luísa Ducla Soares
 
 
·       As máquinas não podem substituir os homens!
 
·     Para mim, esta história foi interessante. Achei fascinante a personagem do robô!
 
Miguel Ramos, 6º 7ª
 
·     Esta história ensina-nos uma grande lição: ninguém nos pode substituir! Nós somos responsáveis pela nossa vida!
 
 
Tiago, nº 27, 6º 7ª
 
 
·     Eu gostei muito da história e da maneira de a contar. Achei que a linguagem é adequada à nossa idade.
 
André Sousa, 6º 7ª
 
·     Eu gostei muito de ler este livro! A história ensina-nos que não devemos contar com os outros para fazerem as coisas de que não gostamos.
Ana Haveriuc, 6º 7ª
 
·     Eu gostei da grande aventura vivida pelo João com o seu robô. Afinal, não dá bom resultado quando não fazemos o que devemos.
 
 
·     Eu gostei de ler o livro de Luísa Ducla Soares, “O Rapaz e o Robô”. Não devemos pedir a ninguém para nos substituir, porque senão a vida passa-nos ao lado. Devemos ser nós próprios, responsáveis pelos nossos actos.
 
Eunice, nº 6, 6º 7ª
·     Gostei da história, “O Rapaz e o Robô”! O vocabulário é adequado à nossa idade e tem alguns episódios divertidos. Para além disso, a mensagem também é muito interessante e faz-nos pensar.
Patrícia Caldeirinha, 6º 7ª
 
 
·     Eu acho que Luísa Ducla Soares nos conta histórias muito bem. Esta é uma delas.
Também gostei da história, porque a mensagem que ela nos transmite é muito importante: não precisamos de ser outras pessoas; devemos ser nós próprios a assumir as nossas responsabilidades.
 
Ariana Oliveira, 6º 7ª
 
 
·     Gostei de ler o livro, porque a história agradou-me.
 
Daniel Neves, 6º 7ª
 
 
 
·     Eu gostei muito da história “O Rapaz e o Robô”. Tem situações que demonstram bem que não devemos arranjar maneira de alguém se fazer passar por nós.
 
João Machuqueiro, 6º 7ª
 
·     Acho o livro bastante interessante, embora gostasse que tivesse mais texto e personagens mais desenvolvidas. Também gostava que o robô não acabasse assim. O João, por outro lado, podia ter ficado amigo do rapaz que salvou.
Gostei da mensagem da história.
 
João Paulo Ferreira, 6º 7ª
 
 
 
·     Acho que a história está muito bem contada. Aprendi que podemos ser nós a fazermos as coisas bem feitas.
No final, também gostei muito de fazer o robô, de imaginar como ele poderia ser!
 
Sofia Grosso, 6º 7ª
 
 
·     Gostei de ler o livro!
 
Inês Gomes, 6º 7ª
 
 
 
·     Eu acho que o facto de o livro não ser muito grande e de o texto ter uma linguagem adequada às nossas idades incentiva o gosto pela leitura.
Qual foi a criança que já não imaginou um ser que lhe fizesse os trabalhos desagradáveis? Pois bem, aprendemos com esta narrativa que devemos ser responsáveis pela nossa vida.
 
Ângela da Cruz, 6º 7ª
 
 
 
·     Eu gostei imenso da história, “O Rapaz e o Robô”! Ela ensina-nos a não fugir das dificuldades para mantermos a nossa personalidade.
Raquel Miranda, nº 23, 6º 7ª
 
 
 
·     Eu gostei desta história! Achei divertido o rapaz tirar más notas e, assim do nada, a transformar-se num “grande aluno”.
Também gostei muito de fazer o robô, porque ocupou o meu tempo livre e foi divertido!
 
Filipe Reynaud, nº 8. 6º 7ª
 
 
 
·     Eu gostei muito do livro, porque nos entusiasmamos pela história, de página para página. A lição que retiramos também é muito interessante: diz-nos que não vale a pena fugir da realidade e que devemos ser nós próprios.
Miguel Oliveira, 6º 7ª
 
·     Adorei o livro, porque a história está muito bem contada e porque é original e divertida: fala de um rapaz preguiçoso e de um robô.
Nataly, 6º 7ª
 
·     Acho o livro muito bom para nós, pois está muito bem escrito e transmite-nos uma grande lição: ninguém nos pode substituir, temos de ser nós a esforçar-nos para alcançar o que pretendemos.
 
João Pedro Silvério, nº 15, 6º 7ª
 
 
·     Gostei muito da história, porque o João, com a ajuda do seu robô, conseguiu tirar positivas nos testes e ser o melhor da turma.
Rúben Rodrigues, nº 24, 6º 7ª
 
·     Adorei ler este livro! A história está bem escrita e fala de robôs.
Sofia Anastácio, 6º 7ª
 
·     Eu gostei muito desta história, porque, para além de estar bem escrita, com uma linguagem actual e adequada à nossa idade, ensina-nos que não podemos ser substituídos por outra pessoa, pois, assim, ela ocupa o nosso lugar. Se pensarmos bem, as soluções dos nossos problemas estão em nós.
 
Francisco Couto, nº 9, 6º 7ª
 
 
 
·     Eu gostei do livro, porque nos conta uma história com aventura. Às vezes, também adorava ter um robô como aquele, mas, se pensar bem na lição da narrativa, ninguém nos pode verdadeiramente substituir.
Miguel Tangarrinhas, 6º 7ª
 
 
Ilustração da história, 7º ano
 
 
Criação de robôs, com muito engenho e arte - 6º 7ª
 

 

publicado por CREeb23bocage às 16:00

link do post | comentar | favorito
|

Feira do Livro

publicado por CREeb23bocage às 15:57

link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre nós

.pesquisar

 

.Junho 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Novo endereço do blogue

. Recital de Poesia 2010

. Concurso de Ortografia 20...

. Recital de Poesia 2010

. Ainda a Semana da Leitura

. Semana da Europa

. Semana da Leitura - Bocag...

. A Semana da Leitura també...

.arquivos

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

.Ligações úteis

.Contacto

becre.eb23bocage@gmail.com

.Visitas

desde 2008/10/02